Artigo: Você sabe o que é Poluição Luminosa?

Quantas vezes você já tentou observar as estrelas do quintal da sua casa e não conseguiu porque a iluminação da rua ofuscou sua visão?

Pois é, sua visão foi ofuscada por algo chamado de poluição luminosa (PL). Pode nem parecer tão grave, afinal ela apenas não te deixa observar o céu, certo? Errado.

A poluição luminosa, como toda e qualquer poluição é muito mais séria do que se possa imaginar. A poluição luminosa pode ser definida como sendo qualquer efeito adverso causado ao meio ambiente pela luz artificial excessiva ou mal direcionada. Um desses efeitos, que prejudica ou mesmo impossibilita totalmente o trabalho dos astrônomos, por exemplo, é o fulgor do céu noturno, percebido principalmente sobre as cidades. Mas não pense que a poluição luminosa está restrita a grandes centros, estudos mostram que a interferência que algumas aglomerações urbanas causam pode ser notada a centenas de quilômetros de distância. E não há quem não tenha percebido a diferença entre o aspecto do céu noturno urbano e o daquele que se pode ver a partir de regiões afastadas sem iluminação artificial.

A principal consequência da poluição luminosa é o desperdício de luz. Portanto, reduzir os seus efeitos negativos significa economizar luz, energia elétrica e um valor gigantesco em dinheiro por ano em todo o mundo. Assim, não é preciso apagar a cidade, mas cuidar para que seja iluminada corretamente, enviando luz apenas para as áreas necessárias. Fazendo um levantamento da iluminação artificial noturna em diversas cidades, a International Dark Sky Association, uma entidade mundial sediada nos EUA que estuda os malefícios da poluição luminosa percebeu facilmente o enorme desperdício de luz causado por luminárias que lançam grande parte de sua luz para cima, paralelamente ao solo ou para além da área útil. São os postes da iluminação das ruas, os das praças, em forma de globo esférico, os refletores das quadras de esportes, estacionamentos, canteiros de obras, clubes, aeroportos etc. Se cada dispositivo de iluminação fosse criado com o cuidado de aproveitar toda a luz gerada, dirigindo-a para baixo, os níveis de poluição luminosa cairiam mais de 80 por cento.

A grande maioria das pessoas que moram em centros urbanos nem faz ideia de que elas são diretamente afetadas por esse tipo de poluição, aqui estão apenas alguns efeitos negativos da PL: – O corpo humano necessita de escuridão para poder descansar e se recuperar durante o sono, a luz constante atrapalha o sistema biológico. – O céu é um patrimônio da humanidade, infelizmente isso nos é negado por luminárias mal projetadas. – Aves são desorientadas pela luz. Atualmente, as pessoas em todo mundo são orientadas para economizar energia com atitudes caseiras como tomar banho quente rapidamente, ou não abrir a porta da geladeira por muito tempo. Porém, fica difícil convencer as pessoas a economizarem energia quando se olha para a quantidade de luz (energia) que é direcionada ao espaço sideral, sem maiores explicações. E talvez a maioria das pessoas não perceba isso, mas jogar luz para cima não aumenta a segurança de ninguém nem melhora a visibilidades das ruas.

Como seria uma luminária bem projetada?

A luminária bem projetada iria lançar luz somente para a área que se deseja iluminar, e mais importante que isso, para baixo: Toda e qualquer iluminação externa deve vir de cima e ir somente para baixo. A lâmpada da luminária não pode ser visível de cima, ela deve ser coberta por um painel que direcione a luz para baixo somente. A lâmpada não pode ser potente a ponto de causar danos à visão das pessoas que estão caminhando ou dirigindo, afinal já que a luz é bem direcionada, menos luz é necessária, e lâmpadas mais eficientes devem ser usadas.

Os benefícios da iluminação com LED contra a poluição luminosa?

Dentro deste contexto é que a iluminação utilizando LEDs tem ganhado ainda mais força. O Índice de Reprodução de Cor (IRC) da lâmpada LED é 71 enquanto da lâmpada de vapor de mercúrio (utilizada na iluminação pública) é 40, isto significa que enxergamos um objeto sob a luz da lâmpada LED com as cores mais próximas da luz natural do sol.

A poluição luminosa (PL) é o efeito produzido pela luz exterior mal direcionada, que é dirigida para cima, ou para os lados, em vez de iluminar somente as áreas pretendidas, e invade locais próximos aos pontos de iluminação acarretando em desconforto pela privação da escuridão absoluta. A luz emitida para as regiões superiores e laterais reflete-se e difunde-se nas poeiras em suspensão no ar, tornando o céu noturno mais claro, o que acontece com a lâmpada de vapor de mercúrio, pois a lâmpada LED emite luz na direção principal da região a ser iluminada, não ocasionando a poluição luminosa.

As imagens 1, 2 e 3 mostram a Distribuição de Iluminância de ambas as lâmpadas. As luminárias Galaxy e Solaris, fabricadas pela americana GreenStar e distribuídas com exclusividade no Brasil pela inovelux estão preparadas tecnicamente para não causar poluição luminosa. Elas evitam a dispersão da luz, oferecem conforto visual e proporcionam economia de energia elétrica superior a qualquer concorrente do mercado.

Fontes de consulta:

http://www.silvestre.eng.br/astronomia
http://www.labplan.ufsc.br
http://www.darksky.org